Goiânia terá duas licitações para hangares e oficina de aeronaves

Espaços, que estarão disponíveis por meio do certame, somam 13,2 mil m²

A Infraero vai abrir duas licitações para áreas no Aeroporto de Goiânia/Santa Genoveva no início de julho. Os espaços, que somam 13,2 mil m², serão operados por concessionários que farão serviços de hangaragem e manutenção de aeronaves num dos principais mercados de aviação geral do País – Goiânia está na quarta posição em número aeronaves registradas no Estado e na movimentação de pousos e decolagens nesse segmento da aviação.

A primeira licitação a ser aberta será no dia 1/7, quando a Infraero receberá propostas para o lote de 5,5 mil m², que conta com edificações que poderão ser alteradas pelo futuro operador. A disputa será por melhor lance mensal, com preço inicial partindo de R$ 32.500,00 em 120 meses de contrato. Já a segunda licitação, cujas propostas serão recebidas pela Infraero no dia 3/7, será para uma área de 7,7 mil m² que já conta com instalações para aviação geral e que poderão ser modificadas pelo futuro operador. Para esta contratação, o valor mensal é de R$ 44.625,00 em 120 meses de contrato.

As oportunidades de negócio surgem no aeroporto com a quarta maior movimentação de aeronaves da aviação geral e executiva do País. Em 2018, o Santa Genoveva recebeu 31.467 pousos e decolagens, à frente de terminais como a Pampulha (MG) e Santos Dumont (RJ), conforme dados do Anuário Estatístico Operacional 2018 da Infraero.  A frota dessas aeronaves em Goiás também é uma das maiores do Brasil – são 1190, número superior ao de estados como Paraná, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro, conforme levantamento de 2018 do Instituto Brasileiro de Aviação (IAB).

Cenário

O Aeroporto Santa Genoveva tem registrado aumento na movimentação de aeronaves da aviação geral e executiva. No ano passado foram 31.467 pousos e decolagens, um aumento de 16% em relação a 2017, quando 27.110 chegadas e partidas foram registradas. Em números gerais, a quantidade de pousos e decolagens de 2018 corresponde a 47% do total de movimentos da capital goiana, o que inclui as operações dos voos comerciais regulares.

Dentro desse cenário também está a frota de aeronaves do estado, que é a segunda maior do Centro-Oeste, região que ocupa a segunda colocação do Brasil na aviação geral e executiva, atrás apenas da região Sudeste, cujos aeroportos de Uberaba (MG) e Uberlândia (MG) estão mais próximos a Goiânia do que de Belo Horizonte.

Já no segmento de organizações de manutenção, Goiás conta com cerca de 50 estabelecimentos registrados na Agência Nacional da Aviação Civil (Anac). Eles estão distribuídos na capital e nas cidades de Anápolis, Formosa, Luziânia, Motividiu, Rio Verde e Teresópolis de Goiás.



Contato

Baixe nosso Aplicativo


Newsletter
Receba ofertas exclusivas por email: